Data comemorativa 09/04/2018 - 07h00

Entenda como se inicia a doença de Parkinson

No próximo dia 11, é celebrado o Dia Mundial da Doença de Parkinson, que, segundo a OMS, afeta cerca de 200 mil pessoas no Brasil. Conhecimento e tratamento correto são as formas mais eficientes de lidar com a condição
notícia 0 comentários
{'grupo': '', 'id_autor': 19107, 'email': 'hamlet.oliveira@opovo.com.br', 'nome': 'Hamlet Oliveira'}
Hamlet Oliveira hamlet.oliveira@opovo.com.br
SARINYAPINNGAM/gettyimages
O termo "Mal de Parkinson" é considerado depreciativo e seu uso não é indicado

Na próxima quarta-feira, 11, será celebrado o Dia Mundial da Doença de Parkinson. Com cerca de 1% da população mundial acima dos 65 anos atingida pela doença, é preciso que haja informação no momento do diagnóstico para que o paciente conviva melhor com ela. Neurologistas explicam que, atualmente, existem vários tratamentos disponíveis, em diferentes especialidades. 

O neurologista João José Carvalho conta que o primeiro passo, ao ter suspeitas dos sintomas da patologia, é procurar um neurologista, pois o diagnóstico é exclusivamente clínico. Ou seja, não existe um exame que confirme a doença. Carvalho relata que os quatro principais sinais do Parkinson são lentidão dos movimentos, rigidez nos membros, tremores e instabilidade postural, o que resulta em quedas nos pacientes. A combinação destes sintomas configur-se no diagnóstico.

"Uma coisa importante é que, ao contrário do que se imagina, o tremor do Parkinson ocorre em repouso. Ele não começa com o paciente movimentando a mão. Habitualmente, se a pessoa estiver com a mão na coxa, ela tremerá. Mas, quando ele mexe a mão, ela não treme mais", explica. Outro detalhe é que os sinais tendem a serem apresentados, a princípio, apenas em um dos lados do corpo. 
 
Rosivalda Teixeira Marinho, neurologista e coordenadora do Ambulatório de Doença de Parkinson e outros distúrbios do movimentos do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), fala que não existe uma causa específica para a doença. Acredita-se que o Parkinson está atrelado a uma predisposição genética e que um fator ambiental o desencadeia.  

"Não tem nenhuma forma de prevenção, mas existem vários aspectos que podem diminuir o risco das doenças neurodegenerativas, de forma geral. Atividades físicas regulares, lazer, alimentação saudável, evitar o isolamento social, por exemplo", explica Rosivalda.

Tratamento 
A principal característica do Parkinson é reduzir os níveis de dopamina no cérebro, neurotransmissor responsável pelo controle dos movimentos. Os remédios utilizados no tratamento atuam para melhorar a quantidade de dopamina no organismo. Para determinados casos, existe também uma opção cirúrgica, que, por meio da aplicação de eletrodos no cérebro, realiza a estimulação neural.

Dependendo de cada caso, outros profissionais, como fisioterapeutas e fonoaudiólogos, também atuam em conjunto com o neurologista para melhorar a qualidade de vida do paciente. "Apesar de ser uma doença neurodegenerativa, os estudos sobre a fisiopatologia da doença e outras opções terapêuticas estão muito avançados. Assim, faz com que a grande maioria dos pacientes possa ter uma vida normal ou próxima disto", diz Carvalho. 

Data
O Dia Mundial da Doença de Parkinson faz referência ao aniversário de James Parkinson, o primeiro médico a identificar a doença, em 1817. Em dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a estimativa é de que no Brasil cerca de 200 mil pessoas sejam afetadas por essa patologia. 

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:

Vídeos

Especialista dá dicas sobre saúde masculina play

Especialista dá dicas sobre saúde masculina

anterior

próxima

Erro ao renderizar o portlet: Caixa Jornal De Hoje

Erro: [Errno 13] Permission denied: u'/home/presslab/public_html/ns142/arquivos/imgs/capas/2018-07-18_capa_populares_prez-61-77.jpg_tmp'

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Mais comentadas

anterior

próxima