INCLUSÃO 19/09/2018 - 07h00

Dia Nacional do Teatro Acessível: direito de todos à cultura

Nesta quarta-feira, 19, lembra-se o Dia Nacional do Teatro e o Dia Nacional do Teatro Acessível. A Iniciativa de inclusão nas artes cênicas teve início com projeto da ONG Escola de Gente. Confira cinco lugares em Fortaleza com programação constante de teatro
notícia 0 comentários
{'grupo': 'Especial para O POVO', 'id_autor': 19099, 'email': 'gabrielacustodio@opovo.com.br', 'nome': 'Gabriela Cust\xf3dio'}
Gabriela Custódio gabrielacustodio@opovo.com.br
Reprodução/escoladegente.org.br
Entre as iniciativas que tornar um espetáculo acessível estão a audiodescrição e a presença de um intérprete de Língua brasileira de sinais (Libras).

Mais do que entretenimento, atividades artísticas e culturais podem ser uma forma de promover a inclusão na sociedade. Desde 2017, o dia 19 de setembro passou, oficialmente, a ser uma data para celebrar e cobrar a acessibilidade de pessoas com deficiência às artes cênicas. Se antes a ocasião já se referia ao Dia Nacional do Teatro, com a aprovação do o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 124/2014, passa a ser também o Dia Nacional do Teatro Acessível.

"Fizemos uma brincadeira, na verdade, porque não existe uma lei que determina o Dia [Nacional] do Teatro, mas existe uma lei que determina o Dia do Teatro Acessível, para um teatro sempre acessível", afirma Pedro Prata, coordenador da Escola de Gente, organização não-governamental (ONG) que atua em prol de direitos humanos, acessibilidade e inclusão. Para ele, a data é uma oportunidade de mostrar que é possível fazer teatro acessível e para cobrar mais iniciativas. "Uma data como essa, na verdade, é um passo inicial para mostrar para o Estado que já existe reconhecimento desse tipo de teatro, dessa forma de fazer cultura, para que possamos caminhar ainda mais", afirma.

O projeto foi criado a partir da campanha "Teatro Acessível — Arte, Prazer e Direitos", idealizada em 2011 pela escola. Desde 2003, porém, a instituição já se mobilizava para promover inclusão no teatro, por meio do grupo Os Inclusos e os Sisos — Teatro de Mobilização pela Diversidade, formado por iniciativa de um grupo de estudantes de artes cênicas que buscou a escola.

"A história, bem resumidamente, é essa: começou como um grupo de teatro, que virou uma campanha e está virando política pública", conta Prata. De acordo com a Escola de Gente, a expressão teatro acessível refere-se à participação de pessoas com deficiência ou com qualquer limitação, temporária ou permanente, em todas as funções das artes cênicas — como plateia, produtores, artistas etc.

Em Fortaleza, o grupo Olho Mágico é o primeiro composto por atores cegos ou com baixa visão. A iniciativa surgiu a partir de uma experiência que o médico, ator de teatro e mágico Marcos Queiroz na graduação em Teatro pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Responsável à época pelo espetáculo "Menos um, -1", que contou com dois atores cegos no elenco, Queiroz teve contato com o chamado Teatro dos Sentidos — que trabalha com pessoas com deficiência visual e pessoas sem deficiência vendadas.

Com apoio da Sociedade de Assistência aos Cegos (SAC) e do Instituto Vida Cidadã, o grupo conta com 18 atores e está montando a peça "Vida Paradiso", que deve estrear em outubro próximo. "Dentro desse projeto, nós estamos também iniciando uma reforma no auditório centenário do Instituto dos Cegos para transformá-lo em um teatro totalmente adaptado para todos os tipos de deficiência", afirma Queiroz. A ideia é que o auditório proporcione acessibilidade a pessoas com deficiências visual, auditiva e motora e tenha assentos para pessoas com obesidade, por exemplo. Além do diretor, também fazem parte do projeto os professores Nádia Fabrici e Lucas Duarte.

Entre outros motivos, de acordo com o coordenador da equipe, a iniciativa é importante para que pessoas que ficaram cegas ao longo da vida — caso de alguns dos atores — possam ter mais autonomia. "Queremos esse grupo produzindo espetáculo, tendo uma receita para poderem complementar a renda. E isso também eleva o ego deles. Quando falo dos meus atores e das minhas atrizes, para mim, não são cegos, são os atores que estão trabalhando no grupo Olho Mágico, fazendo um trabalho que vai ser visto pela população."

CULTURA ACESSÍVEL
De acordo com Prata, a Escola de Gente "não faz nada além do que a lei manda", referindo-se à previsão legal do acesso à cultura por todos. Para ele, porém, há uma "dificuldade geral" em se reconhecer a cultura como um direito. A questão se agrava, aponta Prata, quando se fala do acesso a ela por quem tem alguma deficiência. "Nossa Carta Magna diz que cultura é um direito, não diz que cultura é um direito de quem não tem deficiência. Então, isso é o principal."

Porém, o coordenador vê avanços nos últimos anos, como a exigência, em editais, de recursos de acessibilidade para projetos patrocinados pela Lei Rouanet ou por algumas empresas. "Acho que a cultura está passando, neste momento, pelo que a educação passou alguns anos atrás, de se perceber como parte e como direito também de quem tem deficiência. [...] O que não falta é lei no Brasil, inclusive somos referência no mundo inteiro quando se pensa no direito de pessoas com deficiência. Nossa lei já está muito avançada. A questão mesmo é como tornamos isso realidade", afirma.

PARA SE PROGRAMAR
No Dia Nacional do Teatro, as Revistas O POVO listam cinco opções de locais em Fortaleza que oferecem, com frequência, programações teatrais. Confira:

1.Sesc Emiliano Queiroz
Com vasta programação cultural, o Serviço Social do Comércio (Sesc) realiza cerca de 40 espetáculos teatrais por mês. Conforme explica Cleudivan Noronha, técnico de cultura do Sesc, as atividades vão além do teatro da casa e são realizadas em parceria com escolas e outras instituições. Ainda em setembro, o espaço recebe os espetáculos "A Ilha" — nos dias 21 e 28, às 19h — e "Os Tamboretes" — nos dias 22, 23, 29 e 30, também às 19 horas —, além da peça infantil "Senhorita Marshmallow" — às 16 horas dos dias 22, 23, 29 e 30. Nas noites de quarta-feira, o Sesc também realiza a "Quarta do Riso", com shows de humor. Segundo Noronha, iniciativas de acessibilidade estão presente em espetáculos de eventos como a Semana de Artes Integradas e o Palco Giratório. Até 2019, de acordo com o técnico de cultura, o espaço deve passar por reforma para proporcionar acessibilidade ao teatro, como espaço destinado a pessoas cadeirantes na plateia.

Serviço
Teatro Sesc Emiliano Queiroz
Onde: av. Duque de Caxias, nº 1701 – Centro
Mais informações: 0800 275 5250 / http://www.sesc-ce.com.br

2. Teatro Dragão do Mar
O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC) oferece programação variada, de terça a domingo, para quem busca atrações culturais. O teatro do centro cultural conta com uma média de seis peças em cartaz por mês e, além delas, o espaço realiza espetáculos cênicos em outros locais — como os de teatro e dança de rua — , que variam a cada mês. Na Temporada de Arte Cearense, que segundo edital deve acontecer até março de 2019, o teatro recebe, às 20 horas de todas as terças-feiras, um espetáculo que fica em cartaz durante um mês. Além disso, há peças infantis às 17 horas aos sábados e domingos.

Ainda estão em cartaz neste mês as peças "Na Colônia Penal", do Cangaias Coletivo Teatral, e "Enfim, Sós!", da Cia de Teatro Lua, e o espetáculo infantil "Para onde vão as meias quando elas desaparecem?", com EmFoco Grupo de Teatro e Coletivo WE, além da programação da mostra IV Gênero em Cena, do Festival Curta O Gênero. Em nota enviada às Revistas O POVO, a instituição afirmou que pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida têm acesso prioritário na fila e na entrada e que a estrutura conta com rampas de acesso, espaço para cadeiras de rodas e banheiro adaptado. "Iniciamos ainda a elaboração de um plano geral de acessibilidade para o centro cultural, para atualizarmos e ampliarmos os recursos de acesso à programação do CDMAC", informa.

Serviço
Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
Onde: rua Dragão do Mar, 81 — Praia de Iracema
Mais informações: (85) 3488 8600 / (85) 3488 8608 / http://www.dragaodomar.org.br

3. Theatro José de Alencar
Ponto turístico da Capital, o Theatro José de Alencar (TJA) foi inaugurado em junho de 1910. Além do palco principal, também são realizadas atividades cênicas no Teatro Morro do Ouro, na calçada, em salas anexas ao TJA e em outros espaços do Theatro. De acordo com Selma Santiago, diretora do teatro, entre janeiro e agosto de 2018, foram realizadas 187 ações, com média de 23 ações por mês, contando com espetáculos e atividades formativas. Ainda neste mês, o público pode assistir aos espetáculos "O amor e o diabo", do grupo Arte de Viver, no dia 20, às 18 e às 20 horas, e "Conversa de lavadeiras", do coletivo Rei Leal, no dia 26, às 17h30. Entre as iniciativas para a acessibilidade, a diretora cita um pacto com o Ministério Público para promoção de uma ação acessível por mês, como oficinas. Além disso, afirma que o TJA receberá duas plataformas elevatórias e aponta a possibilidade de inserir a acessibilidade com critério de pontuação maior para a Chamada de Ocupação Artística para 2019.

Serviço
Theatro José de Alencar
Onde: rua Liberato Barroso, 525 - Centro
Mais informações: (85) 3101 2583

4. Teatro Universitário Paschoal de Carlos Magno
Equipamento da Universidade Federal do Ceará (UFC), o Teatro Universitário Paschoal de Carlos Magno é palco tanto para os alunos da instituição quanto para grupos teatrais da Cidade. Inaugurado em junho de 1964, o espaço recebe — de segunda a quarta-feira — aulas e ensaios, além de outros projetos. "O nosso curso de teatro, a graduação, surgiu no teatro universitário. Então, ele sempre teve esse aporte para o curso. E aí continuou. Mesmo [a licenciatura] estando no [Campus do] Pici, estabelecemos essa relação com o teatro universitário", afirma o professor Gil Brandão, diretor do teatro. Às quintas e sextas-feiras, o palco é disponibilizado para grupos de teatro apresentarem espetáculos. Geralmente, segundo Brandão, são exibidas peças de duas companhias — um na quinta e outra na sexta —, que ficam em cartaz por um mês. Entre as atividades de setembro, está o espetáculo "Os Coriscos", nos dias 20 e 21, às 19 horas. As entradas custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Serviço
Teatro Universitário Paschoal de Carlos Magno
Onde: av. da Universidade, 2210 — Benfica
Mais informações: (85) 3366 7832

5. Teatro RioMar Fortaleza
Inaugurado em dezembro de 2014, o teatro do shopping RioMar Fortaleza já recebeu, até este mês, 66 apresentações teatrais. Entre os eventos realizados no local está o 16ª Mostra de Teatro Transcendental, no último mês de agosto. Além disso, o teatro recebe constantemente outros espetáculos, como shows musicais. Em setembro, ainda serão realizadas as peças "Tudo que você sempre quis dizer sobre o casamento", às 20h do dia 23, e "Circo Turma da Mônica — O primeiro circo do novo mundo", nos dias 29, às 15h e às 18h30, e 30, às 11h e às 16h. Entre os recursos de acessibilidade presentes no local estão espaços para cadeirante, cadeiras para clientes com mobilidade reduzida e dificuldade de locomoção, assentos para pessoas com obesidade, rampas de acesso, corrimãos com informações para pessoas com deficiência visual e banheiro adaptado.

Serviço
Teatro RioMar
Onde: rua Des. Lauro Nogueira, 1500 — Papicu
Mais informações: (85) 3066 2000 / https://www.teatroriomarfortaleza.com.br/

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:

Vídeos

Especialista dá dicas sobre saúde masculina play

Especialista dá dicas sobre saúde masculina

anterior

próxima

Erro ao renderizar o portlet: Caixa Jornal De Hoje

Erro: [Errno 13] Permission denied: u'/home/presslab/public_html/ns142/arquivos/imgs/capas/2018-12-15_capa_populares_prez-61-77.jpg_tmp'

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Mais comentadas

anterior

próxima