A partir de janeiro 29/11/2013

Acaba venda da gasolina comum

Segundo a ANP, as novas especificações darão maior qualidade à gasolina, além de serem menos poluentes
notícia 13 comentários
{'grupo': '', 'id_autor': 18934, 'email': 'joaobandeira@opovo.com.br', 'nome': 'Jo\xe3o Bandeira Neto'}
João Bandeira Neto joaobandeira@opovo.com.br
THIARA NOGUEIRA
Postos serão obrigados a vender somente gasolina aditivada a partir de 1º de janeiro
Compartilhar


A partir de 1° de janeiro de 2014 entra em vigor a resolução da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) que acaba com a gasolina comum vendida nos postos de combustíveis. Elaborada em 2009, a Resolução nº 38 determina que toda gasolina deverá conter aditivos. Segundo a ANP, as novas especificações darão maior qualidade à gasolina, além de serem menos poluentes.


Na avaliação do engenheiro químico do Instituto Nacional de Tecnologia (INT), Eduardo Cavalcante, os benefícios da nova gasolina que será oferecida para os motoristas serão variados de acordo com o tipo de veículo. “Vai haver um melhoramento por conta do desempenho na limpeza do motor do carro, reduzindo o nível de carbonização do motor. Os consumidores que não abastecem com a gasolina aditivada sentirão a diferença logo nos primeiros meses”, comenta.


Na regulamentação técnica para a resolução, a ANP diz que os postos revendedores não serão afetados pelas mudanças e poderão seguir oferecendo a gasolina premium, com maior nível de aditivos.


O engenheiro químico do INT acredita que já no primeiro momento haja um aumento do preço do combustível comercializado no país. “Na parte técnica desse processo, o custo é maior para que se tenha aditivos na gasolina e tendência é que isso seja repassada para o consumidor. É algo sem retorno. O lado positivo para o consumidor é no tocando a redução dos custos de manutenção”, enfatiza.


Para o consultor em gás e petróleo, Bruno Iughetti, essa resolução não pode ser posta em prática na sua totalidade. Iughetti afirma que é preciso que o processo deve ser gradativo porque diversos setores da cadeia de distribuição dos combustíveis devem se preparar para as mudanças.


“Se isso for implantado de uma única vez teremos problemas, porque os terminais de derivados de petróleo prescisam se adaptar aos aditivos. Sabemos que essa comercialização já existe no mercado, mas não em larga escala como o Governo deseja”, destaca.


Outra crítica do consultor é para a falta de opções que o consumidor terá ao abastecer seu carro, Iughetti enfatiza que o benefícios para os veículos será muito pequena, pois a concetração de aditivos será reduzida.


“Não consigo entender os benefícios reais, porque eles são ínfimos. Para melhorar a gasolina deve-se melhorar as Refinarias de Petróleo”, diz.

 

Saiba mais


A concentração de enxofre presente na gasolina também sofrerá redução a partir de janeiro do próximo ano.


O teor de enxofre sairá de 800 mg/kg para 50 mg/kg. A medida da ANP, prevista na Resolução 40/2013, reduzirá a emissão de enxofre na atmosfera em 94%, contribuindo para a melhoria da qualidade do ar e para a diminuição de doenças respiratórias. O mesmo será aplicado para o Diesel.


“Essa é uma medida acertada pela ANP. Na Europa esse índice já é seguido há alguns anos. A tendência é termos cidades mais limpas nos próximos anos”, destaca o consultor em gás e petróleo, Bruno Iughetti.

 

Compartilhar
espaço do leitor
Roberto 05/02/2015 10:41
Votaram no PT, agora aguentem, temos que dar mais dinheiro pra Petrobrás pra eles desviarem!
kinsmarts 07/12/2014 01:08
horrivel, querem empurrar combustivel mais caro para o consumido, e como fica quem tem um carro carburado? que usando gasolina aditivada pode fazer mau para o motor
Athos Pereira 28/08/2014 16:12
Até parece mesmo que os custos de manutenção vão do carro serão reduzidos. Me engana que eu gosto. Na Europa já é assim, mas lá o governo não rouba descaradamente o cidadão. Aqui, o preço vai disparar e não teremos mais opção de fazer alguma economia, a não ser andar a pé ou de jegue.
Miranda 01/12/2013 17:54
Vão empurrar na população a venda obrigatória de mais um produto mentiroso que só beneficiam o fabricante e que aprovou a lei, é parecido com o álcool que é vendido obrigatoriamente para carros não flex a vários anos sem opção de gasolina pura.
Antonio José Rodrigues 01/12/2013 13:13
E o povo ó...!
Ver mais comentários
13
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Erro ao renderizar o portlet: Barra Sites do Grupo

Erro: cannot identify image file <cStringIO.StringI object at 0x42ceb58>

Jornal de Hoje | Economia