Mórmons 24/02/2013

Negócios com base na fé

Grandes empresários que fazem parte da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias fazem negócios entre si e usam a confiança de dividir a mesma fé como base para o sucesso de transações
Compartilhar

O que tem em comum em nomes como Carlos Wizard Martins, proprietário da escola de idiomas Wizard e da escola de computação SOS Computadores; David Neeleman fundador da companhia aérea Azul; Manoel Amorim, presidente da Abril Educação; e Francisco Valim, ex-presidente da operadora de telefonia Oi? Eles fazem parte da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, são mórmons, e além das empresas que dirigem, fazem negócios entre si.

 

Os bem sucedidos empresários e executivos não têm em sua igreja nenhum tipo de incentivo específico para os negócios, mas “saber que a pessoa compartilha da mesma fé, gera confiança”, acredita Élder Mozart Soares, porta-voz da Igreja. Ele conta que já intermediou pessoalmente o contato entre dois empresários que tinham serviços complementares e ouviu de um deles que isso facilitaria a transação.


Mas Soares diz que essa é uma decisão particular de cada um. A comunicação da Igreja não direciona nenhuma atividade neste sentido e, segundo ele, nem mesmo para atração de novos fieis ou retorno de “inativos”. “Não temos assuntos públicos ou propaganda de nada. Na Igreja, o pensamento é que o evangelho precisa ser compartilhado de coração para coração. Não utilizamos isso pra trazer pessoas inativas ou para propagar o evangelho, mas temos todo o nosso material editorial disponível em site para baixar gratuitamente”, explica.

 

Redes Sociais

As redes sociais também funcionam para os membros da Igreja. Mozart Soares conta que os jovens da igreja que tem acesso ao Facebook tem criado páginas para as atividades que eles realizam.

 

“Antigamente as atividades culturais como bailes e esportivas eram divulgadas em cartazes de papel e demorava algum tempo para atingir a todo o público. Hoje eles fazem isso em seis horas conseguem contatar muitas pessoas e a frequência com certeza tem aumentado então a igreja incentiva”, revela.

 

Quem são

A Igreja incentiva o sucesso e não encara o enriquecimento como uma coisa ruim. Para isso os fiéis recebem ajuda para custear cursos de graduação e pós-graduação; liderança é aprendida desde cedo com aulas para aprender a falar em público; as missões servem como aprendizado prático para técnicas de venda.

 

Outra vantagem profissional é que os mórmons não bebem, não fumam, não jogam, não usam drogas e isso contribui para que sejam considerados honestos, facilitando os negócios. (Henriette de Salvi)

 

Números 

 

14 mil é o número de pessoas que se declararam mórmons no Censo 2010, do IBGE

 

Dicionário


Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias


Élder: sacerdote da Igreja Mórmon.

Inativo: Mórmon que está afastado da Igreja. 

Livro de mórmon: Segundo a religião,foi escrito por profetas. A Bíblia também faz parte do acervo dos mórmons, que são cristãos.

Missionários: os praticantes da religião, devem passar dois anos em trabalho missionário.

 

Frase

 

"Saber que a pessoa compartilha da mesma fé gera confiança”

 

Élder Mozart Soares, porta-voz da Igreja Jeuss Cristo dos Santos dos Últimos Dias

 

Fiéis


Eles são mórmons

David Neeleman, fundador e presidente da companhia aérea Azul

 

Carlos Wizard, dono da escola de idiomas Wizard e da SOS Computadores

 

Manoel Amorim, presidente da Abril Educação

Francisco Valim, ex-presidente da OI

 

Mitt Romney, candidato a Presidência dos Estados Unidos

 

Moroni Torgan, político

 

Multimídia

Mais informações sobre os mórmons www.lds.org

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia