[an error occurred while processing this directive][an error occurred while processing this directive] Flávio Paiva, o retorno | O POVO
Coluna 20/08/2013

Flávio Paiva, o retorno

Jornalista, escritor e compositor volta às páginas do O POVO, com coluna semanal (às quartas-feiras) no caderno Vida & Arte
Emanuel Furtado emanuelfurtado@opovo.com.br
DIVULGAÇÃO
Flávio Paiva: na pauta, a infância e a "cidadania orgânica"
Compartilhar


Depois de quase uma década, o jornalista Flávio Paiva está de volta às páginas de O POVO. A partir de amanhã e todas as quartas-feiras, o também escritor e compositor assina uma coluna que leva o seu nome, onde abordará o que ele chama de “jornalismo expressionista”. Semanalmente, o ilustrador Carlus, do O POVO, assinará as imagens que dialogarão com os textos.


“Ao longo dos anos, criei um conceito que chamo de jornalismo expressionista, onde as luminosidades dos fatos são mais destacadas que seus contornos. Na sombra tem sempre a possibilidade de encontrar a luz. O esforço de encontrar essa luz é um dos fundamentos do expressionismo. E, dentro do jornalismo expressionista criei duas trilhas: a Infância e a Cidadania Orgânica”, explica Flávio Paiva.


Segundo ele, a trilha da infância é um conceito autoexplicativo. “Aqui vou tratar do consumismo na infância, comportamento, literatura infantil, obesidade infantil, música e tudo que diz respeito ao respeito à cultura da infância, cuja linguagem é o brincar e esse brincar é o idioma”.


Já sobre a trilha da Cidadania Orgânica, “são todas as coisas em declínio no modelo de progresso, a falsa ideia de progresso, o consumismo como elemento de destruição dos recursos naturais renováveis e das relações entre as pessoas. A questão educativa do trânsito nas grandes cidades, o estilo de vida. Vou abordar a atenção que o cidadão dá a todas as coisas que o envolvem e que influenciam o seu cotidiano. Falo também sobre a caatinga, o semiárido, o bioma, a relação do ser humano com a natureza e a possibilidade de reaproximação entre esse ser com a natureza”.


Para ele, o jornalismo cultural feito no Ceará é um dos melhores do Brasil, apesar de algumas fissuras no processo de produção. Na sua avaliação, “nós vivemos em uma cidade e em um Estado com alta precariedade de políticas culturais. Uma precariedade triste. Somos ainda muito fracos, apesar do tamanho e da importância que Fortaleza tem para o País. Existe um descompasso entre a dimensão da cidade, o seu patrimônio cultural e a política para tratar a relação entre essas questões”.

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

Erro ao renderizar o portlet: Caixa Jornal De Hoje

Erro: [Errno 13] Permission denied: u'/home/presslab/public_html/ns142/arquivos/imgs/capas/2019-01-21_capa_populares_prez-61-77.jpg_tmp'

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Mais comentadas

anterior

próxima

O POVO Entretenimento | Vida & Arte