[an error occurred while processing this directive][an error occurred while processing this directive] Marina diz que #Rede não é esquerda, direita, situação nem oposição | Política | O POVO Online
#Rede 18/02/2013

Marina diz que #Rede não é esquerda, direita, situação nem oposição

Novo partido que Marina Silva pretende criar pretende romper monopólio dos partidos na política e transformar o cidadão comum em protagonista
JOSÉ CRUZ/ABR
Marina Silva e Heloísa Helena, ex-petistas e referências da #rede
Compartilhar

 

A ex-senadora Marina Silva afirmou que o novo partido que está organizando não será de oposição nem de situação, e poderá apoiar o governo Dilma Rousseff (PT) em questões pontuais. “Se Dilma tiver fazendo algo bom, vamos apoiar. Se não, não. Parece ingênuo. Mas não tem nada ingênuo”.

 

A nova agremiação foi lançada no sábado. Foi definido o nome Rede Sustentabilidade, ou simplesmente #rede. Segundo Marina, a intenção é oferecer opção ao eleitor para romper o duelo entre duas forças políticas. “Nem direita, nem esquerda, estamos à frente”, disse ela, que acrescentou: “Estamos indo para o mundo do paradoxo”.


A ex-senadora destaca que a intenção não é apenas ter um partido para as eleições de 2014. Segundo ela, a Rede terá como missão quebrar a “lógica de partidos a serviço de pessoas”. “O que está acontecendo aqui é um partido para questionar a si próprio. Não pode ser partido para eleição”. Ela propõe também a mudança da relação do cidadão comum com o poder. “Estamos numa nova visão de mundo, de sujeito político que não é mais expectador da política, esse sujeito é protagonista”.


Fundadores

Três deputados federais foram apresentados como fundadores do novo partido: Domingos Dutra (PT-MA), Walter Feldman (PSDB-SP) e Alfredo Sirkis (PV-RJ). A ex-senadora Heloísa Helena (Psol-AL) também participou do evento de sábado.

 

Heloísa, que deixará o Psol para ingressar na nova sigla, também fez discurso em defesa da ética. Ela cobrou dos militantes esse compromisso. “Nós não temos preços na testa”. Em seguida, ela lançou o nome de Marina para a presidência em 2014, levantando os mais de 500 participantes do evento que gritaram: “Brasil urgente, Marina presidente”. Para participar das eleições presidenciais de 2014, o novo partido precisa recolher 500 mil assinaturas em pelo menos nove Estados e obter o registro da Justiça Eleitoral até outubro deste ano.


Sobre a possibilidade de disputar novamente a Presidência, Marina disse que sua candidatura em 2014 ainda é “apenas uma possibilidade” e uma “discussão”. Na última eleição presidencial, ela conseguiu 20 milhões de votos.

 

Sem monopólio

Marina disse que a proposta do partido é quebrar, de fato, o monopólio dos partidos na política. “Estamos num processo de desconstrução de que o partido tem monopólio da política, queremos quebrar isso. Os partidos não têm monopólio da política”.

 

Um exemplo seria a proposta de oferecer até 30% do total de vagas nas eleições proporcionais para candidaturas cívicas independentes que serão oferecidas à sociedade para cidadãos não filiados e que não pretendam exercer vínculos partidários.


A ex-senadora afirma que a Rede nasce do “desconforto com o que está acontecendo no Brasil e no mundo pela estagnação do poder pelo poder, do dinheiro pelo dinheiro”. (das agências)

 

Quem


ENTENDA A NOTÍCIA


Marina Silva foi ministra do Meio Ambiente do governo Lula, rompeu com o PT e ficou em 3º lugar na eleição presidencial de 2010, quando concorreu pelo PV. Ela saiu do partido e precisa da nova sigla para concorrer em 2014.

 

Saiba mais


Adesões no Ceará

O movimento para criar o novo partido Rede Sustentabilidade, ou apenas #rede, conversa no Ceará com membros de PDT, PV e PT, principalmente. Há também membros do Psol que cogitam se filiar, conforme O POVO mostrou sábado.

Novos nomes

Candidato a senador em 2010 pelo PV e a vereador, em 2012, pelo PDT, Paulo Eduardo Teixeira, o Polô, é articulador da Rede no Ceará. Ele informou que não são grandes nomes da política local, mas pessoas desconhecidas, insatisfeitas com os atuais partidos.

Apoios importantes

Polô disse, no entanto, que há figuras de destaque de demonstram apoio à criação da nova legenda, mesmo que não sinalizem intenção de se filiar. Ele cita o deputado estadual Heitor Férrer (PDT) e o ex-secretário de Meio Ambiente de Fortaleza no fim da gestão Luizianne Lins (PT), Adalberto Alencar.

 

Compartilhar
espaço do leitor
miguel cesar nobre 20/02/2013 08:41
Marina e Heloísa são mulhures de grande valor, mas não estão a altura de exercer o poder central no executivo, pois seus perfis são de legisladoras. O Ciro Gomes é a melhor opção para tirar o Brasil do atoleiro. Se o PDT quizer um debate sério em 2014 é só convocar o Ciro e os homens de bem do país
Este comentário é inapropriado?Denuncie
A m y r 19/02/2013 15:41
Nem contra e nem a favor EU QUERO É MAMAR num é Marina?
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Fagner Viana 19/02/2013 14:59
Quem está com o pensamento negativo, não conhece o novo partido. Espere e vejam antes de criticar. O partido será uma nova opção para quem não aguenta mais a mesma coisa entra ano sai ano e nada muda. Será um partido para confrontar o que já existe.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Topera 19/02/2013 14:39
Nem esquerda, nem direita; nem contra, nem a favor; nem fede, nem cheira; nem ganha, nem perde.. Estratégia política de ficar em cima do muro não é coisa nova, especialmente vindo da Marina Silva. Pra que serve? Lógico: troca de favores políticos em razão de apoios eleitorais.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Augusto 19/02/2013 08:15
é o futuro da sinarquia, ou pelo menos um começo paar ele.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Ver mais comentários
20
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

Erro ao renderizar o portlet: Caixa Jornal De Hoje

Erro: [Errno 13] Permission denied: u'/home/presslab/public_html/ns142/arquivos/imgs/capas/2018-12-13_capa_populares_prez-61-77.jpg_tmp'

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Mais comentadas

anterior

próxima