Construção civil 05/06/2012

Ceará: sindicato da construção diz que greve acabou

Já os construtores duvidam do retorno ao trabalho e consideram que é mais uma estratégia da greve
notícia 0 comentários
Compartilhar
FÁBIO LIMA
Operários em manifestação: sindicato promete retorno ao trabalho

 

Depois de 28 dias parados, trabalhadores da construção civil decidiram, em assembleia geral, voltar hoje ao trabalho. A notícia não convenceu o sindicato dos construtores, que disse acreditar que se trata de uma nova estratégia da greve.

 

Mesmo assim, o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sunduscon-CE) divulgou nota afirmando que espera que o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza (STICCRMF) cumpra o que determinou o Tribunal Regional do Trabalho (TRT): a suspensão da greve e o retorno imediato às atividades.


O presidente da entidade, Roberto Sérgio Ferreira, destacou ainda que as empresas não vão negociar, individualmente, a compensação dos dias parados. “Quem entra em greve sabe dos riscos. Na greve todo mundo perde. Nós perdemos milhões, lamentavelmente os trabalhadores também perderam”, afirmou.


O assessor do sindicato dos trabalhadores, Valdir Pereira, nega que a categoria tenha mudado de estratégia. Ele afirma que os operários voltam hoje aos canteiros de obra e que vão conversar com os construtores sobre a compensação dos dias parados. “Se não quiserem compensar, vamos trabalhar normalmente, dentro da carga horária diária e sem fazer nada para atualizar o cronograma atrasado das obras”, disse, ressaltando que, sem acordo, os trabalhadores não vão fazer horas extras nem trabalhar aos sábados. Para ele, o prejuízo poderá ser tirado em “bicos” nos finais de semana.


Pelo menos numa coisa dos sindicatos não divergem. As empresas pagarão o reajuste de 8% ao conjunto da categoria e os pisos negociados. Após 14 rodadas, foram negociadas, segundo o Sinduscon-CE, as seguintes pisos: servente R$ 639,00, meio profissional, R$ 722,50, profissional, R$ 970,00, encarregado de setor, R$ 1.145,00, e mestre de obras, R$ 1.650,00, além do auxílio alimentação, que será de R$ 50,00.


De acordo com o sindicato dos trabalhadores, 20 empresas de um total de 500 já teriam fechado acordo sobre dias parados.


Ontem teve início a greve dos trabalhadores nas indústrias da construção de estradas, pavimentação e obras de terraplanagem no Estado do Ceará que afeta as grandes obras.

 

O quê


ENTENDA A NOTÍCIA


O principal entrave entre operários e construtores se deu por causa do desconto dos dias parados. Durante a greve, houve invasão de canteiros de obras e agressões a outros trabalhadores e a jornalistas. A frente do jornal Diário do Nordeste chegou a ser destruída.

 

Compartilhar
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor no:
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Erro ao renderizar o portlet: Barra Sites do Grupo

Erro: HTTP Error 404: Not Found

Jornal de Hoje | Economia