Ceará 11/01/2017

Quase 130 mil roubos e furtos foram registrados em 2016 no Ceará

Roubos aumentaram 19,2% em 2016 e furtos 3,9%. Redução de índice é considerada prioridade pela SSPDS
notícia 1 comentários
DictSql({'grupo': 'Especial para O POVO', 'id_autor': 16431, 'email': 'thiagopaiva@opovo.com.br', 'nome': 'Thiago Paiva '})
Thiago Paiva thiagopaiva@opovo.com.br

Na contramão da redução dos homicídios, o Ceará manteve uma tendência de crescimento nos casos de roubos e furtos em 2016. O ano se encerrou com alta nas ocorrências, de 19,2% e 3,9%, respectivamente. No total, foram registrados 129.214 crimes do tipo no Estado. Houve, em média, 353 ações por dia. Fortaleza, que registrou queda de 39% nos assassinatos, foi a região que teve o menor aumento das ocorrências de roubo. A Capital contabilizou, porém, o maior crescimento nos furtos.

 

Considerando apenas os Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs), que incluem todos os casos de roubo, exceto latrocínio (seguido de morte), foram registradas 72.661 ocorrências ao longo do ano. Em dezembro (6.046 casos), houve alta de 12,3%. O dia com maior incidência de crimes foi a sexta-feira, que concentrou 16,9% dos assaltos, seguida da quinta-feira, com 16,3%. Já os períodos de maior incidência foram a noite, quando houve 34,1% dos roubos, e a tarde, com 29% dos casos.


Em Fortaleza, os roubos cresceram 16,5%. Enquanto houve 40.355 assaltos em 2015, no ano passado foram registrados 47.003 casos.


A constante alta é apontada pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) como a principal causa para o crescimento da sensação de insegurança no Estado, sobretudo na Capital. A redução dos CVPs foi, inclusive, apontada pelo novo titular da pasta, delegado André Costa, como principal meta do órgão, além de manter a queda nos homicídios.


“O desafio é manter essa redução (de homicídios), tentar reduzir de forma maior. Mas também dar um foco em outros tipos de crimes que geram uma sensação grande na população, que é o que traz realmente o medo de as pessoas estarem nas ruas, que são os Crimes Violentos contra o Patrimônio. A gente pretende sentar com a equipe e traçar estratégias para reduzir da forma mais drástica possível o número desses crimes”, comentou André, conforme O POVO publicou na última sexta-feira, 6.


Furtos

Já a soma dos furtos, que consiste na subtração de coisa alheia sem emprego da violência, chegou a 56.553 casos no ano passado. Em dezembro, os crimes cresceram 2,8% no Estado. Os dias com maior incidência de furto no mesmo mês foram o sábado (17,3%) e a quinta-feira (16,7%). Já os turnos com maior incidência foram a manhã (34,5%) e a tarde (28%).

 

A Capital foi a única região a reduzir as ocorrências em dezembro (7,8%). Levando em conta os 12 meses, porém, houve alta de 5,4% no total de crimes, que cresceram de 30.135 casos para 31.758. Durante o ano, os crimes de furto oscilaram no Estado. A maior redução conseguida se deu em janeiro, de 11,3%, e a maior alta em agosto, de 29,1%. 

 

Números

 

15,2% é o percentual de redução dos homicídios no Ceará em 2016. Total passou de 4.019 para 3.407

espaço do leitor
Lunga Jr 12/01/2017 07:44
seguramente outro tanto deixou de ser registrado por pura perda de tempo ou de saco, os dados são clamorosos e evidenciam que privilegiado é uma cidadão fortalezense não assaltado ... socorro ... piedade ... chamem o ladrão.
1
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Erro ao renderizar o portlet: Barra Sites do Grupo

Erro: cannot identify image file <cStringIO.StringI object at 0x42ceb58>

Jornal de Hoje | Página Cotidiano