SEM FAMÍLIA 24/09/2013

Entidades precisam preparar autonomia de adolescentes

Compartilhar


As histórias de abandono, de tentativas frustradas de vinculação familiar e de espera por uma adoção são milhares. Para muitos que chegaram ao sistema de acolhimento ainda crianças ou já adolescentes, o tempo passa, os 18 anos são realidade cada vez mais próxima e a espera por uma família já esmoreceu.


As chances menores de ser adotado e a saída dos abrigos para uma vida sem o suporte do Estado exige ações práticas do poder público. Segundo a coordenadora das Varas da Infância e Juventude de Fortaleza, a juíza Alda Maria Holanda, antes de chegar aos 18 anos, a entidade de acolhimento vai tentando preparar a autonomia do adolescente.


Humberto Mello, coordenador da Casa Abrigo, lembra que o vínculo é institucional, por isso, a necessidade de trabalhar a autonomia. A destituição do poder familiar é questionada e analisada com mais cuidado quando se trata de adolescentes. Muitos dos profissionais indicam que o importante na adolescência, quando as chances de adoção são muito menores, seria trabalhar a autonomia.


O defensor público Tibério Melo indica que existem boas experiências de adolescentes que conquistaram capacitação, foram empregados, constituíram família. E são esses bons exemplos que precisam ecoar no sistema, que ainda acolhe tantos adolescentes. (SA)

> TAGS: abrigos adoção
Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Erro ao renderizar o portlet: Barra Sites do Grupo

Erro: HTTP Error 404: Not Found

Jornal de Hoje | Página Cotidiano