Palhano 30/10/2012

Ação de sindicato pede pagamento de salários atrasados

A Apeoc entrou na Justiça para que professores e servidores recebem seus salários que estão, respectivamente, a dois e quatro meses em atraso. Uma assembleia está marcada para a próxima semana e prevê greve na cidade
Compartilhar

Os professores de Palhano não recebem salário há dois meses. A situação difícil motivou ação ajuizada no último dia 23. O Sindicato dos Servidores Públicos das Secretarias de Educação e Cultura dos Municípios e do Estado do Ceará (Apeoc) pede que esses profissionais voltem a receber salário por seus préstimos ao município.

 

Os vencimentos de outros servidores da Educação estariam atrasados quatro meses. A ação trata também desses trabalhadores, pedindo à Justiça o ressarcimento dos salários em atraso. Segundo o vice-presidente da Apeoc, Reginaldo Pinheiro, outras categorias teriam sido ainda atingidas pelo mesmo problema.


A denúncia foi protocolada nos Ministério Público do Estado e Federal, além do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), depois que uma assembleia, realizada no último dia 17, deflagrou a insatisfação na categoria. Uma nova reunião está programada para a próxima semana. Lá será discutida a possibilidade de paralisação. Pinheiro avalia que há grandes chances de uma greve no município.


A representante do sindicato em Palhano, a professora aposentada Carmosina Moura prevê que a assembleia da próxima semana deverá tentar envolver servidores de outras pastas para se engajar numa eventual greve.


“A causa do atraso é, no mínimo, incompetência do gestor com a coisa pública. Na nossa avaliação, é o excesso de contratação que antecede o período eleitoral”, analisa Pinheiro.


“É necessário que gestores municipais tenham um corpo de funcionários profissionalizados que não fique refém das indicações dos políticos”, diz Anízio Melo, o presidente da Apeoc. Em relação às prefeituras do Estado, Melo julga que elas ainda carecem de assessoramento qualificado para aplicação dos recursos na educação.

 

Outro lado


O chefe de gabinete, João Amaral, afirma que o prefeito Nilson Freitas (PSD) está tomando “todas as providências” para efetuar os pagamentos. Ele acrescenta que a prefeitura estaria “se organizando” para isso.


A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que desonerou produtos da linha branca, foi apontado por Amaral como um dos principais responsáveis pelo atraso.


O IPI é um dos impostos que abastece o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), cujos repasses são grande parte da receita de alguns municípios do Interior. Freitas foi reeleito no último dia 7 de outubro, com 2547 votos.

 

ENTENDA A NOTÍCIA


A Apeoc, sindicato que representa professores e servidores da educação, identificou situações críticas em relação a atrasos de salários em dois municípios do Estado. Uma ação pede que as prefeituras paguem o devido.

 

Número

 

4

meses é o tempo de atraso em alguns salários em Palhano

Alan Santiago alan@opovo.com.br
Compartilhar
espaço do leitor
Antonio 30/10/2012 19:10
É lamentável o que está acontecendo em Palhano com os servidores. É uma falta de respeito e muita incopetência desse gestor.Olha q é a segunda vez que atrasa salários nessa mesma gestão, a primeira foi em 2009. Foi preciso os professores irem as ruas.Agora de novo. Cadê a justiça que não ver isso.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
1
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Erro ao renderizar o portlet: Barra Sites do Grupo

Erro: cannot identify image file <cStringIO.StringI object at 0x42ceb58>