EXPOSIÇÃO 16/08/2016

Coletivo In-grafika abre hoje exposição coletiva, com foco na gravura

Formado por oito artistas, o coletivo In-grafika abre hoje a exposição Poéticas Gravadas, no Espaço Cultural Aldemir Martins. Visitação é gratuita
notícia 0 comentários
{'grupo': '', 'id_autor': 19107, 'email': 'hamletvictor@opovo.com.br', 'nome': 'Hamlet Oliveira'}
Hamlet Oliveira hamletvictor@opovo.com.br


Na matriz, a goiva talha os desenhos. Natureza morta, pessoas, paisagens, abstratismos. Possibilidades infinitas, ao sabor da imaginação do artista. Com habilidade, uma pluralidade de temas é incorporada à madeira, ao metal, ao isopor, ou qualquer que seja o material selecionado para ser a base da gravura. Na prensa, a tinta espalhada sobre a forma finalmente é absorvida pelo papel, seu destino final, onde a gravura ganha vida.


A arte da produção de gravuras não é tarefa fácil. Por envolver instrumentos de corte e muita perícia, uma obra demora dias até ser confeccionada por inteiro. A paixão pelo estilo foi o mote para o surgimento do In-grafika, coletivo que reúne artistas plásticos dedicados a apresentar o universo das gravuras para o público e que hoje, às 19 horas, abre a exposição Poéticas Gravadas, no Espaço Cultural Aldemir Martins, na Faculdade Integrada da Grande Fortaleza (FGF). A visitação será aberta de segunda à sexta-feira, das 9h às 12 horas, de 13h às 17 horas e de 19h às 22 horas. As obras ficam expostas até 15 de setembro de 2016.


O coletivo foi idealizado por Gérson Ipirajá e Silvano Tomaz há oito meses. Após a realização de cursos em conjunto sobre a produção de gravuras, e da descoberta de um interesse em comum pela arte, os dois souberam da existência de uma prensa sem uso na Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho, no bairro Jacarecanga. Desde então, outros seis artistas se juntaram ao In-grafika. São eles: Andréa Dall’ Olio, Carlos Nascimento, Juscélio Holanda, Sandra Montenegro, Zakira e Carlus Campos, que desde 1987 compõe o quadro de ilustradores do O POVO.


Cada artista irá expor duas obras, totalizando 16. Os temas selecionados partem da individualidade de cada um. “A identidade deles está lá no trabalho, na gravura. O ‘poéticas’ do título da exposição é sobre as poesias gravadas na matriz. E foram remetidas ao interior dos artistas, de acordo com sua linguagem, seus devaneios. São poemas não em forma de letras, mas de gravuras”,
comenta Silvano.


Além da exposição, o coletivo trabalha com a realização de oficinas e cursos sobre a produção gráfica. Silvano ressalta que basta uma entidade ou grupo entrar em contato com algum dos integrantes e fazer a solicitação. Uma oficina de isogravura, onde a matriz principal é o isopor, formou duas turmas com 30 e 25 alunos cada, no primeiro semestre de 2016. Para o final do ano, entre novembro e dezembro, o In-grafika viaja para Recife, onde realizará oficinas conjuntas com o coletivo Ita-quatiara.


Psicóloga por formação, Sandra Montenegro se lançou nas artes plásticas ainda criança, aos oito anos. Ela explica que a falta de incentivo do governo não impediu a união de artistas em busca de espalhar a gravura País afora. “Todos nós gostamos de gravura, que não possui muito espaço, mas juntos somos mais fortes. A experiência está sendo muito gratificante. Não é fácil juntar muitos egos de artistas, mas a união casou bem. Estamos conseguindo caminhar e fazer as coisas acontecerem”.


Precursor

Durante as entrevistas, Silvano e Sandra relembraram a contribuição do professor Eduardo Eloy para a difusão da gravura no Ceará. Nos anos 1980, o professor trouxe a primeira prensa para impressão pública de gravuras do Estado para o Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (Mauc), ajudando a formar toda uma nova geração de artistas.

 

Um deles foi o próprio Silvano, nos idos de 1997, quando conheceu o artista em um curso no Centro Dragão do Mar. O equipamento cultural ainda estava em formação. “Ele também era professor na Faculdade FGF, onde fui monitor dele. De la pra cá, fizemos amizade e trabalhamos juntos. Tenho um grande respeito por essa pessoa. Não só eu, mas a maioria dos gravadores aqui no Ceará”, explica o artista.

 

SERVIÇO

 

Exposição Poéticas Gravadas

Quando: De hoje até 15 de setembro. Segunda à sexta-feira, das 9h às 12 horas, de 13h às 17 horas e de 19h às 22 horas.

Onde: Espaço Cultural Aldemir Martins, na FGF (Av. Porto Velho, 401 - João XXIII)

Entrada franca.

Outras informações: 98641 6533

 

espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

O POVO Entretenimento | Vida & Arte