PORTO IRACEMA. FORMAÇÃO 28/04/2014

Na taba de Iracema

Porto Iracema das Artes, escola do Dragão do Mar, tem cursos nas áreas de música, audiovisual, dança, teatro e artes visuais. Instituição ocupa vácuo deixado pelo antigo Instituto Dragão do Mar
notícia 0 comentários
{'grupo': 'ESPECIAL PARA O POVO', 'id_autor': 18815, 'email': 'paulorenatoabreu@opovo.com.br', 'nome': 'Paulo Renato Abreu'}
Paulo Renato Abreu paulorenatoabreu@opovo.com.br
Compartilhar


O jovem músico Marco Leonel Fukuda teve “grata surpresa” em julho de 2013. Foi quando descobriu que o Instituto de Arte e Cultura do Ceará (IACC) abriria laboratórios de criação artística. “Era uma ótima oportunidade de poder encaminhar meu projeto e desenvolver um trabalho por sete meses”, relembra. A chance parecia realmente animadora: os selecionados teriam direito à formação com tutoria de grandes mestres do País, dispondo de tempo e dinheiro para aperfeiçoar suas propostas artísticas.


A “surpresa” que deixou Fukuda “curioso” se relevou uma experiência formativa muito maior, hoje conhecida como Porto Iracema das Artes, escola de formação e criação do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Além dos laboratórios (música, audiovisual, teatro e artes visuais), a instituição oferece cursos técnicos (dança e multimídia) e básicos em diversas linguagens. Com um investimento de R$ 11 milhões, o Porto Iracema ganhou sede em espaço reformado e devidamente equipado na antiga Capitania dos Portos, ao lado do Dragão do Mar.


Passados sete meses desde que foi selecionado, Marco Leonel Fukuda se prepara para apresentar o show “Jornada de Violão e Viola”, na próxima quinta-feira. “Essa oportunidade do laboratório não é feita só dos recursos públicos investidos. A médio e longo prazos, significa a inserção dos artistas no meio local e até nacional. É também o diálogo com os outros artistas, que será partilhado com Fortaleza e outras cidades”, pontua Fukuda.


A apresentação do músico nesta semana faz parte da programação do aniversário de 15 anos do Dragão do Mar, período no qual serão apresentados os projetos desenvolvidos nos Laboratórios de Criação do Porto Iracema. A mostra inclui quatro espetáculos teatrais, cinco shows musicais, quatro exposições de artes visuais e a apresentação de cinco projetos de séries de televisão.


“O Porto Iracema oferece formação a partir do que o artista participante está precisando, pois ele amadurece seu processo criativo. Além disso, tem os cursos básicos para quem está começando e é também uma escola múltipla, que consegue criar um diálogo entre as várias linguagens”, afirma Elisabete Jaguaribe, diretora de formação do Porto.


Elisabete também fez parte da equipe fundadora do Instituto Dragão do Mar de Arte e Indústria Audiovisual do Ceará, experiência que inspira o Porto Iracema. De 1996 e 2003, o instituto formou uma geração de artistas cearenses, consolidando-se como a primeira grande experiência de escola voltada à profissionalização artística no Estado.


Continuidade?

Apesar da relevância dos trabalhos surgidos no Instituto Dragão do Mar, a escola formativa não se manteve. Segundo Elisabete, o instituto só “funcionou bem por três anos”. No período em que ficou de portas abertas, sofreu grandes alterações com as mudanças de gestão na Secretaria da Cultura do Estado. Diante do que houve com o instituto, a dúvida logo aparece: como garantir a continuidade do Porto Iracema?

 

“Para falar a verdade, esse é um dos grandes dramas, porque a legitimação institucional desses projetos no Ceará é muito complexa”, afirma Paulo Linhares, presidente do IACC. O gestor, entretanto, diz acreditar que “hoje o Ceará tem uma massa crítica” capaz de lutar pela continuidade da escola. “Você vê, por exemplo, a experiência da Vila das Artes, que se manteve mesmo com a mudança de gestão”, diz Linhares.


Novas turmas

“Temos até o final do ano para consolidar a experiência do Porto de uma forma que não se tenha mais retrocessos”, planeja Elisabete. Por outro lado, a gestora lamenta esses dez anos de vácuo desde o fechamento do instituto e a abertura do Porto, em agosto de 2013. “Se hoje o campo cultural cearense tem um alto nível, imagine se tivesse continuado a experiência do instituto. Estaríamos numa situação de prestígio cultural enorme.” Ainda para 2014, a diretora garante um novo edital de inscrição para os laboratórios de formação para “início de maio”.

 

Compartilhar
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

O POVO Entretenimento | Vida & Arte