Ex-aliados 29/09/2012

O silêncio protocolar após um encontro sem resultado

Luizianne Lins foi ao gabinete de Cid Gomes, os dois reafirmaram suas posições sobre o impasse das desapropriações e a crise continua. As eleições passaram longe, mas a política permeou o ambiente do encontro
MAURI MELO
Luizianne apresentou seus documentos, Cid os deles, e, no final, restaram o silêncio e as dúvidas
Compartilhar


Os encontros entre o governador Cid Gomes (PSB) e a prefeita Luizianne Lins (PT) estão cada vez mais escassos. E, cada vez que acontecem, como ontem, deixam no ar um clima pesado, alimentado por um mistério que os dois acabam ajudando a fortalecer. Por exemplo, quando optam por deixar com assessores - Geraldo Acioly, no caso dela, e Ferruccio Feitosa, no caso dele - a missão de relatar aos jornalistas o que aconteceu durante a rápida reunião. Cid e Luizianne optaram pelo silêncio imediato.


O governador e a prefeita, mais tarde, até falariam sobre o encontro, em relação aos aspectos administrativos. Ex-aliados, juntos na campanha de 2008, quando ela conseguiu a reeleição em primeiro turno, eles evitaram tom político à reunião de ontem. A conversa, que durou pouco mais de uma hora e foi testemunhada por dois assessores de Luizianne e outros dois de Cid, nada rendeu de prático quanto ao impasse administrativo e pouco serviu no campo político. Aliás, o tema eleições 2012 foi realmente mantido a distância conveniente da mesa.


Na versão dela, apresentada ontem à noite, quando participava de ato de campanha de Elmano Freitas, foi um encontro “prático”. Luizianne diz que levou documentos, os apresentou e não se chegou a conclusão nenhuma.


O governador, que falou sobre o assunto durante evento de inauguração de novo trecho do Metrofor, também restringiu suas observações ao campo administrativo. Há, segundo ele, “visões diferentes”.


Declaratório

“A reunião foi franca”. “São duas pessoas maduras”. “Não pretendemos transformar isso numa polêmica em função de nós termos candidaturas diferenciadas no processo eleitoral”. “Não queremos contaminar a campanha eleitoral“. Essas foram algumas das declarações do coordenador de Projetos Especiais da Prefeitura de Fortaleza, Geraldo Acioly, porta-voz da prefeita; e do secretário Especial da Copa, Ferruccio Feitosa, respondendo por Cid Gomes após a reunião.

 

Declarações protocolares e que, embora expressando o que pode ter sido o tom real da conversa, nem de longe indicam calmaria nas relações políticas entre os cabos eleitorais que tentam viabilizar seus candidatos na disputa pela prefeitura de Fortaleza. O POVO confirmou junto a várias fontes, ao longo do dia de ontem, que não se discutiu eleição e os efeitos futuros da crise sobre a aliança, embora ali também estivessem os presidentes das executivas regionais de PT e PSB.


Com Elmano Freitas (PT) e Roberto Cláudio (PSB) disputando de maneira ferrenha o primeiro lugar na preferência do eleitorado de Fortaleza, o encontro de ontem aconteceu num momento de alta tensão no relacionamento. Por isso, conforme disse um deputado petista federal, à noite, o melhor mesmo é que o assunto não tenha sido tratado. Ajuda quando se tenta olhar para o futuro. (com Raquel Maia e Lucinthya Gomes)


E agora


ENTENDA A NOTÍCIA


O clima eleitoral permeou o encontro de ontem entre Cid Gomes e Luizianne Lins, apesar de só terem sido tratados assuntos administrativos. A costura da aliança vai exigir, passada a eleição, muita competência (e paciência) dos dois líderes.

 

Guálter George gualter@opovo.com.br
Compartilhar
espaço do leitor
Alaércio Flor 29/09/2012 17:34
A vida e a política são verdadeira arte de encontros e não de desencontros.Estes dois são péssimos exemplos que não são bons artistas na arte política de se encontrarem politicamente em prol da ppulação que lhes dar o emprego público pelo voto de Prefeito e Governador.Que pena.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
1
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS