Religião 24/02/2013

O marketing aplicado à modernização das igrejas

As religiões se modernizam. Igrejas, congregações, doutrinas e comunidades utilizam ferramentas para melhorar a comunicação entre seus representantes e fiéis. Estratégias de mercado, como mídias sociais e atendimento personalizado são aplicados nas novas relações de fé
Compartilhar

A atração de fiéis é uma consequência e não o objetivo da ação missionária na opinião de Francisco Borba Ribeiro Neto, coordenador do Núcleo Fé e Cultura da Pontifícia Universidade Católica (PUC). Mesmo que considerado efeito e não causa, o crescimento do número de fiéis é resultado do trabalho de comunicação das igrejas, congregações, doutrinas e comunidades religiosas.

 

O marketing desenvolvido em cada uma dessas instituições pode ser considerado o que o - ainda - papa Bento XVI apontou como demandas da sociedade. Em resposta a elas, a orientação do pontífice foi que a Igreja se mantivesse fiel à sua natureza, ou seja, na contramão do desejo social. “O que pode não significar, num primeiro momento, aquilo que mais agrada as pessoas, o que mais elas querem ouvir”, reforça Borba.


Ainda que a posição oficial da Igreja não ofereça aos fieis aquilo que, ao menos num primeiro momento, eles querem a atração se dá por identificação. Segundo Borba, quando o líder relata suas experiências religiosas, estabelece conexão com o ouvinte. “Isso é uma estratégia de mercado? Você pode até dizer que sim, que se encaixa nas características, mas não é pensado assim”, declara.

 

Marketing

Mas Danilo Amaral, consultor de Marketing, diz que o marketing está posicionado em todos os setores da sociedade e a Igreja não é diferente. 

 

“Podemos identificar várias características do marketing nas igrejas“, afirma.

Amaral explica usando metáforas do cenário musical: “os jovens de hoje querem música popular, então você não vai ter muitos discos de música gregoriana”. A adequação da oferta à demanda é fundamento do marketing encontrado nas religiões segundo o consultor.


Os meios de comunicação também são ferramentas de marketing para as igrejas segundo o consultor, que destaca a necessidade de conhecer o público-alvo para a adequação do discurso. “Desde os anos 1960 que programas de TV e, hoje, as mídias sócias, são utilizadas para pregações”.


Amaral destaca o papel do papa João Paulo II para a chegada das missas católicas aos meios de comunicação. “O papa João Paulo II foi quem impulsionou, já tardiamente, a transmissão de missas. Hoje existem vários canais católicos que se utilizam de toda essa linguagem”.

 

Frases

 

Isso é uma estratégia de mercado?

Você pode até dizer que sim, que se encaixa nas características, mas não é pensado assim” 

 

Francisco Borba Ribeiro Neto, Coordenador do núcleo Cultura e Fé da PUC

 

 

Podemos identificar várias características do marketing nas igrejas”

“Desde os anos 1960 que programas de TV e, hoje, as mídias sociais, são utilizadas para pregações”

Danilo Amaral, consultor de marketing

Henriette de Salvi henriette@opovo.com.br
Compartilhar
espaço do leitor
chico vigilante 24/02/2013 20:57
O Deus do dinheiro
Este comentário é inapropriado?Denuncie
NEWTON SILVA 24/02/2013 20:52
Esses são os verdadeiros vendilhões da palavra de Deus.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Gayneth 24/02/2013 18:02
Mercadores mentirosos.Pastores enganosos
Este comentário é inapropriado?Denuncie
3
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS

Jornal de Hoje | Economia