análises.dom 19/07/2015

Alemanha. Igreja Católica sofre perda recorde de fieis

notícia 2 comentários
Compartilhar

A Igreja Católica alemã perdeu um número recorde de fiéis, mais ainda do que em 2010, um ano marcado por casos de pedofilia, anunciou a Conferência Episcopal da Alemanha. Mais de 280 mil residentes na Alemanha deixaram a Igreja Católica em 2014, 39 mil a mais do que no ano anterior.

 

Os católicos declarados, que ainda estão muito presentes no sul, chegam a apenas 24 milhões no total, o que representa 29,5% da população alemã, um refluxo que o presidente da Conferência Episcopal Alemã, o cardeal Reinhard Marx, “lamenta profundamente”.

 

As autoridades católicas não conseguem explicar este fenômeno, cujas causas são menos evidentes do que em outros anos marcados por casos de pedofilia entre os sacerdotes, como aconteceu em 2010, quando 181.193 pessoas deixaram a Igreja.

 

O porta-voz da organização leiga católica Nós Somos a Igreja, Christian Weisner, considerou que “o espírito” reformista do papa Francisco “não foi tão sensível como deveria ter sido na Alemanha”. “É preciso romper” com a doutrina conservadora do papa anterior, Bento XVI, considerou.
Na Alemanha, todos os contribuintes devem se declarar católicos, protestantes ou sem religião.

Compartilhar
espaço do leitor
Ricardo Martins Soares 20/07/2015 07:45
A pedofilia na igreja não tem nada a ver posto que até prova contrária os padres pedófilos não são maioria. O problema da Europa é a riqueza e o consumismo. Tudo isso afasta as pessoas da religião e da vontade de gerar novas vidas. Em compensação o islamismo está a se alastrar em virtude do aumento de imigrantes de países islâmicos. A Europa dia que passa está a um passo da guerra civil e religiosa...
elizeu silva 19/07/2015 13:46
Ainda hoje a igreja vive sem punir totalmente os pedofilos padres dentro dela, e ainda tem muitos clericos gays e pedofilos...
2
Comentários
500
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS