Incidente 20/03/2012

Estudante brasileiro é morto pela Polícia na Austrália

Roberto Laudísio foi atingido por pistola de choque de 50 mil volts, depois de perseguido por policiais. Era suspeito de furtar pacote de bolachas
Compartilhar

O estudante brasileiro Roberto Laudísio, de 21 anos, foi morto pela Polícia de Sydney, na Austrália. Policiais dizem que ele tentou fugir após furtar um pacote de bolachas. Laudísio, que estava naquele país para estudar Inglês, foi atingido por disparos de Taser, pistola que dá choque de 50 mil volts.

 

No Facebook, um de seus amigos disse que Laudísio foi morto por engano. O caso ocorreu por volta das 5h30min, hora local, de domingo na região central de Sydney. Segundo a Polícia, o rapaz havia fugido da loja de conveniência, a qual, alegadamente para os agentes, roubou.


Chamados, seis policiais o encontraram três quarteirões depois. Durante a perseguição, dispararam a arma de choque elétrico e usaram também spray de pimenta. Uma testemunha da ação disse ao jornal australiano Sydney Morning Herald que, mesmo depois de caído no chão, ele tentou se livrar e foi atingido pelo menos mais três vezes com a arma.


A ação foi gravada por uma câmera de segurança de um café e exibida por emissora de televisão australiana. Nas imagens, um rapaz aparece correndo sem camisa e sendo agarrado por policiais. “Me ajude”, segundo o Herald, foram as últimas palavra de Laudísio, de acordo com a testemunha.


Segundo ela, o brasileiro estava sem nada nas mãos quando a Polícia o avistou. “Ele corria tanto quanto podia. Suas calças estavam caindo, eu achei que ele estivesse apenas bêbado e que os policiais estavam tentando capturá-lo”, disse ao jornal. Policiais e profissionais de saúde ainda tentaram reanimá-lo.

 

Exames


A Polícia informou que vai realizar exames para saber se o jovem estava drogado ou alcoolizado e se isso pode ter contribuído com a sua morte.


Segundo o Itamaraty, o Governo brasileiro já acionou seu consulado em Sydney para tomar as providências cabíveis e aguarda informações.


Roberto Laudísio era um “cara normal”, que “gostava de ir para a balada” e foi morto de maneira cruel, segundo a prima dele, a estudante Marília de Lucca, 21.“Por que dar eletrochoque em alguém assim, até morrer?” (das agências de notícias)

 

ENTENDA A NOTÍCIA


É mais um caso envolvendo brasileiro no exterior que termina em tragédia. De novo, a alegativa é de que ele protagonizara um roubo. O governo brasileiro precisa acompanhar o caso com atenção para garantir que justiça se faça.

 

Compartilhar
espaço do leitor
Ana 20/03/2012 15:34
É por isso que eu não dou um centavo para sair do país, não gasto um centavo querendo conhecer locais que não nos valorizam. Acho até que o Brasil deveria 'cortar' amizades recentemente desejadas por países que há bem pouco tempo desdenhavam de nós.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
Alaércio Flor 20/03/2012 13:48
Não é a primeira vez que um brasileiro é morto no exterior por engano.O caso mais emblemático é o do mineiro Jean Charles ,morto pela Scotland Yard,policia inglesa.
Este comentário é inapropriado?Denuncie
2
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor:
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS