Mãe de Eloá 17/02/2012 - 01h30

"Nada vai superar a minha dor"

Ao sair do Fórum, Ana Cristina foi aplaudida. A juíza Milena Dias processará a advogada Ana Lúcia Assad por injúria

Durante a leitura da sentença, no fim da tarde de ontem, em Santo André (SP), a família de Eloá Cristina Pimentel ficou junta na última fileira do plenário do Tribunal do Júri. De pé, como todos na sala, Ana Cristina, a mãe de Eloá, usava um vestido branco, ao contrário dos dias anteriores em que trajava roupa preta. No início do dia, ela disse que portava branco porque tinha esperança de que a justiça fosse feita.

 

Ela chorou ao ouvir que Lindemberg Alves foi condenado a 98 anos e 10 meses de prisão pelo assassinato de Eloá e outros 11 crimes. Ao final do julgamento, Ana Cristina abraçou o filho mais velho, Ronickison Pimentel, que também chorava. Questionada sobre o que sentia ao ouvir a condenação, ela afirmou: “Nada vai superar a minha dor, mas a Justiça foi feita”.


Ao sair do Fórum de Santo André, acompanhada da advogada e dos filhos, Ana Cristina foi aplaudida por centenas de pessoas que aguardavam na frente do local. Lindemberg, enquanto ouvia a sentença, de costas para a plateia, em alguns momentos, levou as mãos ao rosto. Os assistentes de acusação que estavam de frente para ele, no entanto, afirmaram que ele não chegou a chorar.


Condenado, Lindemberg foi retirado da sala, algemado, ainda de cabeça baixa. Ele foi levado para o presídio de Tremembé, a 147 quilômetros da capital paulista, onde está preso há três anos e três meses.


Processo de advogada


A juíza Milena Dias encaminhou ontem pedido ao Ministério Público Estadual (MPE) para que processe a advogada de defesa de Lindemberg, Ana Lúcia Assad, por crimes contra a honra, envolvendo injúria e difamação, por considerar que a defensora teria tentado humilhar a magistrada.


Quarta-feira, no segundo dia de julgamento, a defensora mandou a juíza “ler mais, voltar a estudar”, após a magistrada dizer durante o julgamento que o princípio da verdade real não existe. A defensora afirmou que pedirá nulidade total do julgamento.


Para a advogada, durante sua explanação, a mídia, a Polícia e até mesmo Eloá Pimentel tiveram corresponsabilidade pelo crime praticado por Lindemberg. A defensora deu pistas de que poderia pedir a anulação do júri, após registrar ata sobre o assunto. (das agências de notícias)

0
Comentários
300
As informações são de responsabilidade do autor no:
espaço do leitor
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde

ACOMPANHE O POVO NAS REDES SOCIAIS